//Pobreza aumenta e atinge 54,8 milhões de pessoas no Brasil

Pobreza aumenta e atinge 54,8 milhões de pessoas no Brasil

Por Caio Lencioni
Redação Observatório 3º Setor

Estes brasileiros viviam com renda de até R$ 406 por mês em 2017

No ano passado, o Brasil tinha 54,8 milhões de pessoas que viviam com menos de R$ 406 por mês, dois milhões de pessoas a mais que em 2016. Com isso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)aponta que a proporção da população em situação da pobreza subiu de 25,7% para 26,5%.

A região Nordeste concentrou o maior percentual de pessoas em situação de pobreza: 44,8%, o que equivale a 25,5 milhões de pessoas. Entre os estados, a maior proporção de pessoas em situação de pobreza foi observada no Maranhão: 54,1%, mais da metade da população. Além do Maranhão, a proporção também foi alta em Alagoas: 48,9%.

Porto Velho (RO) e Cuiabá (MT) foram as duas únicas capitais onde o contingente de pessoas que ganham menos de R$ 406 por mês superava a dos respectivos estados: em Porto Velho era 27%, contra 26,1% em Rondônia; em Cuiabá, 19,2%, contra 17,1% no Mato Grosso.

Grupo mais vulnerável

Entre os 7,6 milhões de moradores de domicílios onde vivem mulheres pretas ou pardas sem cônjuge e com filhos de até 14 anos, 64,4% estavam abaixo da faixa de renda de até R$ 406 mensais.

Segundo o estudo, seria necessário investir R$ 10,2 bilhões por mês na economia para que a pobreza fosse erradicada. Além da opção de investimento na economia, o estudo também diz que a outra alternativa seria garantir R$ 187 por mês a mais, em média, na renda de cada pessoa que está em situação de pobreza.

Extrema pobreza

Em relação ao contingente de pessoas com renda inferior a US$ 1,90 por dia, que é equivalente a R$ 140 por mês, caracterizando extrema pobreza, representava 6,6% da população em 2016. No ano de 2017, esse índice subiu para 7,4%. Com isso, o número aumentou de 13,5 milhões em 2016 para 15,2 milhões de pessoas em situação de extrema pobreza em 2017.