Portal NFL

MENU
Logo
Sexta, 04 de dezembro de 2020
Publicidade
Publicidade

Sociedade

ONU Mulheres se pronuncia contra a violência de gênero e o racismo sofrido por Kenia Maria, e Gabriela Dias

São inaceitáveis os ataques dirigidos à Kenia Maria e Gabriela Dias, os quais evidenciam

113
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

 São inaceitáveis os ataques dirigidos à Kenia Maria e Gabriela Dias, os quais evidenciam, às vésperas do Dia Internacional das Mulheres, os tipos de violência sexista e racista a que as afro-brasileiras estão expostas. O racismo e o machismo são veementemente repudiados pela ONU Mulheres, sendo alvo do trabalho cotidiano da organização para transformações estruturais voltadas à eliminação de tais práticas.

Como defensora da ONU Mulheres Brasil, Kenia Maria atua sistematicamente para a conscientização pública sobre a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres. Durante o carnaval 2018, Kenia apoiou campanhas contra o assédio. A defensora exerce o seu voluntariado com afinco para a sensibilização da sociedade brasileira contra o racismo e a violação de direitos das mulheres negras em favor do alcance das demandas da Marcha das Mulheres Negras e em diálogo com ativistas integradas ao Comitê Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030, parceiro da ONU Mulheres. Ademais, é uma das voluntárias da campanha Vidas Negras da ONU pelo fim da violência contra a juventude negra.

Foto: Daniel Chiaco

No Mês das Mulheres, conclamamos a sociedade brasileira, empresas e instituições públicas para tolerância zero à violência contra as mulheres, especialmente as mulheres negras pela vulnerabilidade de violências racistas e sexistas.

Clique aqui e conheça a América Latina: 

Cataratas do Iguaçu do Brasil e da Argentina

Conheça o Chile e passe por experiência únicas

Tango, Carne e belezas naturais, a fascinante Argentina

São Paulo um dos maiores centros culturais do mundo!

Uruguay de Punta del Este a Montevidéu um país livre para todos!

Fonte/Créditos: Nadine Gasman / Representante da ONU Mulheres Brasil

Comentários: