Portal NFL

ONU: 2 milhões morrem a cada ano devido a doenças causadas por substâncias tóxicas no trabalho

O relator especial das Nações Unidas para os direitos humanos e substâncias e resíduos perigosos
ONU: 2 milhões morrem a cada ano devido a doenças causadas por substâncias tóxicas no trabalho
188

ONU: 2 milhões morrem a cada ano devido a doenças causadas por substâncias tóxicas no trabalho

O relator especial das Nações Unidas para os direitos humanos e substâncias e resíduos perigosos, Baskut Tuncak, pediu que Estados e empresas aumentem seus esforços para evitar mortes e doenças no trabalho causadas por substâncias perigosas.

O relator especial das Nações Unidas para os direitos humanos e substâncias e resíduos perigosos, Baskut Tuncak, pediu que Estados e empresas aumentem seus esforços para evitar mortes e doenças no trabalho causadas por substâncias perigosas.

“Quase 2 milhões de pessoas morrem a cada ano devido a doenças ocupacionais de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT)”, disse Tuncak. “E muitas doenças ocupacionais como câncer, doenças do pulmão e do coração, abortos e outros impactos na saúde resultam da exposição a químicos perigosos”.

“Os trabalhadores estão entre os que enfrentam mais risco”, disse o especialista em direitos humanos no fim do mês passado, na ocasião do dia internacional da luta pela segurança e saúde no trabalho (28 de abril).

O relator lembrou que enquanto acidentes industriais obtém atenção da mídia, como a recente explosão de uma unidade da petroquímica Pemex no México que matou 30 trabalhadores, “para a maior parte dos consumidores no mundo, esta é uma epidemia invisível de doença e morte”. “Mas, é uma epidemia que podemos, e devemos, evitar.”

Após algumas viagens, o especialista informou a recorrência de casos de trabalhadores enfrentando câncer, doenças respiratórias e problemas cardíacos causados por substâncias tóxicas, e que dificilmente recebem tratamento eficaz.

“A prevenção e a precaução precisam ser o centro dos esforços dos Estados e das empresas para proteger os direitos dos trabalhadores”, disse o relator especial. “Infelizmente, o número de mortes conta outra história.”

 

Clique aqui e conheça a América Latina: 

Cataratas do Iguaçu do Brasil e da Argentina

Conheça o Chile e passe por experiência únicas

Tango, Carne e belezas naturais, a fascinante Argentina

São Paulo um dos maiores centros culturais do mundo!

Uruguay de Punta del Este a Montevidéu um país livre para todos!

OUVIR NOTÍCIA

O relator especial das Nações Unidas para os direitos humanos e substâncias e resíduos perigosos, Baskut Tuncak, pediu que Estados e empresas aumentem seus esforços para evitar mortes e doenças no trabalho causadas por substâncias perigosas.

O relator especial das Nações Unidas para os direitos humanos e substâncias e resíduos perigosos, Baskut Tuncak, pediu que Estados e empresas aumentem seus esforços para evitar mortes e doenças no trabalho causadas por substâncias perigosas.

“Quase 2 milhões de pessoas morrem a cada ano devido a doenças ocupacionais de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT)”, disse Tuncak. “E muitas doenças ocupacionais como câncer, doenças do pulmão e do coração, abortos e outros impactos na saúde resultam da exposição a químicos perigosos”.

“Os trabalhadores estão entre os que enfrentam mais risco”, disse o especialista em direitos humanos no fim do mês passado, na ocasião do dia internacional da luta pela segurança e saúde no trabalho (28 de abril).

O relator lembrou que enquanto acidentes industriais obtém atenção da mídia, como a recente explosão de uma unidade da petroquímica Pemex no México que matou 30 trabalhadores, “para a maior parte dos consumidores no mundo, esta é uma epidemia invisível de doença e morte”. “Mas, é uma epidemia que podemos, e devemos, evitar.”

Após algumas viagens, o especialista informou a recorrência de casos de trabalhadores enfrentando câncer, doenças respiratórias e problemas cardíacos causados por substâncias tóxicas, e que dificilmente recebem tratamento eficaz.

“A prevenção e a precaução precisam ser o centro dos esforços dos Estados e das empresas para proteger os direitos dos trabalhadores”, disse o relator especial. “Infelizmente, o número de mortes conta outra história.”

 

Clique aqui e conheça a América Latina: 

Cataratas do Iguaçu do Brasil e da Argentina

Conheça o Chile e passe por experiência únicas

Tango, Carne e belezas naturais, a fascinante Argentina

São Paulo um dos maiores centros culturais do mundo!

Uruguay de Punta del Este a Montevidéu um país livre para todos!

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Política
Precisamos de 50 votos para afastar Bolsonaro, diz Senador Randolfe Rodrigues
Precisamos de 50 votos para afastar Bolsonaro, diz Senador Randolfe Rodrigues
VISUALIZAR
Sociedade
Justiça suspende despejo de quilombolas em Alcântara e impõe derrota ao governo Bolsonaro
Justiça suspende despejo de quilombolas em Alcântara e impõe derrota ao governo Bolsonaro
VISUALIZAR
Sociedade
Advogado de milicianos é nomeado assessor especial do ministro da Saúde
Advogado de milicianos é nomeado assessor especial do ministro da Saúde
VISUALIZAR
Política
O homem que arruinou a extrema direita nos EUA
O homem que arruinou a extrema direita nos EUA
VISUALIZAR
Sociedade
Na contramão do mundo, Brasil pode aumentar emissões de carbono
Na contramão do mundo, Brasil pode aumentar emissões de carbono
VISUALIZAR
Sociedade
Vídeo: Presidente Bolsonaro sai às ruas e escuta: “vai trabalhar, vagabundo”
Vídeo: Presidente Bolsonaro sai às ruas e escuta: “vai trabalhar, vagabundo”
VISUALIZAR