A nova era da informação!

O reggaeton como um fenômeno global

Saiba tudo sobre o estilo musical mais badalado na América Latina...
O reggaeton como um fenômeno global
https://pt-br.facebook.com/pages/category/Song/Reggaeton-trap-1945262859018634/
136

O reggaeton como um fenômeno global

http://www.reggaeton.com.ua/index.php/%D0%98%D1%81%D1%82%D0%BE%D1%80%D0%B8%D1%8F_%D0%BF%D0%BE%D1%8F%D0%B2%D0%BB%D0%B5%D0%BD%D0%B8%D1%8F_Reggaeton visualizado em 29 de agosto de 2016 ROJAS, Vera rojas. El ‘dembow’: el género que divide a los dominicanos. Disponível em: El País.com, 17 set. 2013. Aces

 

 

 Por: Giovanni Antunes  e Rafael Vinicius Nunes Rodriguez

 

RESUMO

Este trabalho tem como objetivo  analisar e compreender como o estilo musical denominado ‘’reggaeton’’, foi inserido ou apropriado pelo mercado da música global, e ocupou espaço em um mercado musical competitivo. E transpassar a visão acadêmica em relação ao reggaeton buscando levantar o máximo de informações sobre a temática, trazendo à tona todos os seus impactos.

 

Palavras-chave: América Latina, Cultural, Fronteira, Globalização, Mercado, Musica.

 

Abstract

This study aims to analyze and understand how the so-called musical style '' reggaeton '' was inserted or appropriate by the global music market, and occupied space in a competitive music market. And pierce the academic vision of the reggaeton seeking to raise as much information on the subject, bringing out all its impacts.

Keywords: Latin America, Cultural, Border, Globalization, Market, Music.

 

 

 INTRODUÇÃO

 O presente trabalho busca compreender como o reggaeton atingiu o ápice da música globalizada atravessando fronteiras e atingindo países da América, Ásia e Europa. O estilo musical primeiramente conhecido como “reguetón panamenho”, teve sua primeira aparição no Panamá no final da década de 1970, mas foi em Porto Rico o seu sucesso no início da década de 1980. É necessário antes de se analisar o objetivo da temática, analisar os aspectos que esse gênero musical foi e está inserido, contextualizar sua origem, a relação cultural que havia com seus criadores e adeptos do estilo, e como esse estilo musical que nasceu no Caribe, foi apropriado pelo contexto mercadológico da música global, tendo os Estados Unidos como principal ator desse movimento, com suas gravadoras, mídia eletrônica e televisiva como principais difusores da globalização musical.  

Com o objetivo de se compreender como se ocorreu o fenômeno da globalização[3] de um estilo musical latino; de uma região que historicamente não havia necessariamente um estilo musical de reconhecimento internacional pelo mercado, e sim apenas uma breve lembrança musical fazendo ligação ao país e sua posição geográfica, como por exemplo, relacionar a Argentina ao Tango, Brasil ao Samba, e a região do Caribe ao Merengue; foi necessário analisar os contextos culturais globais iniciados a 20, 30 anos, com o fenômeno geopolítico da globalização não apenas do mercado no contexto tradicional. Nessa política mundial de globalização de mercado, também se buscou a globalização verdadeiramente multicultural e interdependente, que somente podemos compreender e mudar a partir de uma perspectiva plural que articule identidade cultural, interconexão global e política multidimensional.

 

CONTEXTUALIZANDO O REGGAETON

 

Em meados do século XIX, a França inicia a construção do Canal do Panamá, uma obra de suma importância que permitiu uma agilidade maior dos navios, caso não houvesse o canal, uma embarcação que, partindo da costa oeste americana, tivesse como destino a Europa, por exemplo, teria que dar a volta em torno da América do Sul. Esta obra atraiu muitos trabalhadores para essa obra que seria um dos maiores desafios e sua construção significaria uma importante conquista da engenharia. Entre estes trabalhadores estariam os jamaicanos trazendo para o Panamá, que na época ainda era um território da Colômbia, seus costumes entre eles a música reggae que encantaria os habitantes da região panamenha. Os primeiros cantores de reggae do Panamá surgem em áreas periféricas, os reggaes em espanhol foram ganhando força devido a uma preservação cultural arraigada pelos jamaicanos residentes nas proximidades da construção do canal, no entanto o primeiro disco de reggae panamenho tem seu registo na década de 1970. Em 1903 o Panamá conquista sua independência com interferência direta dos Estados Unidos, e como ‘’retribuição’’ pelo apoio na sua independência, construção do canal passa a ser responsabilidade dos americanos e os franceses deixam de serem os responsáveis pela obra. Os americanos trazem com essa nova administração um grupo de trabalhadores que devida à facilidade de se comunicarem com os descendentes de jamaicanos que viviam no Panamá, pois ambos têm o inglês como língua oficial, criam vínculos com os nativos panamenhos e demais grupos caribenhos recém-chegados para dar fim à construção do canal que só seria inaugurado em 1914.

Ao analisar o contexto onde o reggaeton está inserido, e como ele surge é possível notar como a música está inteiramente ligada à cultura de um povo ou de vários povos.

Povos do mundo todo produziam musica muito antes das primeiras orquestras, surgidas durante o barroco europeu, no século 16, e mesmo muito antes do século 11, quando Guido d’Arezzo criou a notação musical da forma como a estudamos até hoje. Feitas para cerimônias religiosas ou festivas, essas primeiras musicas, de diferentes culturas, nos influenciam até os dias atuais (ALENCAR, 2008).

Ao se referir ao reggaeton e sua origem caribenha é de certa forma uma complexidade compreende-lo, se percebe uma aculturação[4] nos primeiros registros desse estilo musical e quando já possui características de um fenômeno global. A mistura de gêneros musicais na década de 1980 era muita, e isso se refletiu até se chegar ao que hoje conhecemos por reggaeton latino. É certo que o reggaeton que se ouve no século XXI é uma construção do ponto de vista cultural e interesse mercadológico.

Na década de 80 o mundo vive um fervor cultural e social de grandes proporções. A luta política da época, como por democracia no leste europeu, e na América Latina, se reflete na cultura da época. Nos países que não tiveram uma experiência de um governo ditatorial, se produziam musicas e canções de cunho político em clamor as liberdades ainda não conquistadas nos países. Com isso, o rock, o pop, trazia em suas letras de caráter contraditório da sociedade, como a exaltação dos corpos femininos, a liberdade sexual, e o uso de drogas. O reggaeton vai ter seu firmamento em Porto rico onde se espalha pelas discotecas de todo pais se tornando uma referência musical pop para jovens e adultos, e tendo logo de cara críticas, pois o reggaeton, assim como boa parte das musicas pop da época, fazia apologia ao sexo e seus críticos diziam que impulsionaria as pessoas ao uso de entorpecentes e bebidas alcoólicas.

 

El reggaetón es um género musical que, en actualidad, cuenta com gran difusión a través de los medios  de comunicación de masas así como digitales. Además tiene la posibilidad de consumo alternativo (piratería, música clonada). Es una música que alude a lo sexual de manera implícita y/o explí- cita, tanto en la letra de las canciones como en las imágenes de los videos musicales, así como en la forma de bailarla, llamada “perreo”. En estas expresiones se manifiestan de manera explícita diversas diferencias de género (ASELA, 2014).

 

Se produziu em relação ao reggaeton, críticas e críticos que buscavam de certa forma como um fenômeno que caracterizaria males a sociedade latino-americana, como por exemplo, a proibição do estilo musical em Cuba, sob a alegação de que “letras agressivas, sexualmente explícitas, obscenas, que deturpam a sexualidade das mulheres cubanas, projetando-as como grotescos objetos sexuais com gestos ainda mais grotescos” seriam proibidas na ilha. Mesmo que “características musicais” do reggaeton, que foram argumentos para a proibição sejam encontradas em outros estilos musicais, segundo o presidente do Instituto Cubano da Música, Orlando Vistel, responsável pelo controle das rádios estatais da ilha dos Castros: “Não devemos particularizar um gênero, mas é evidente que isso é muito mais notório no reggaeton”. É visível de certa forma a influência da música de modo geral em todos os países, no entanto afirmar que um estilo de música é responsável por todos os atos considerados inadequados, é sem dúvida uma forma de desqualificar um estilo, apenas pelo seu ritmo, e uma possível desonestidade intelectual na hora de selecionar fontes possivelmente ligadas a cunhos ideológicos.

 O uso de fontes é um discurso muito importante na historiografia, porém na prática o apego a fontes bibliográficas e a documentos oficiais ainda está preferível, dizer que o reggaeton influencia as pessoas, de fato é uma verdade, contudo é inadmissível não levarmos em consideração o seu valor cultural através da música. Por esses fatores, a pesquisa deve abranger as mais diversas áreas de comunicação tratando-se de um gênero musical em uma sociedade heterogênea e em um mundo globalizado todos os recursos possíveis estão sendo abordados. Levando em consideração autores que defendem a diversidade nas fontes.

 

Na amostragem de novos objetos da História encontram-se trabalhos sobre o clima, o inconsciente, o mito, o cotidiano, as mentalidades, a língua: Linguística e História, livro, filmes, letreiros, legendas, técnicas de filmagem, filmes de propaganda política, festas de loucos, fantasias, comemorações nacionais, bailes, cores, programas de festas públicas e particulares, homenagens, musicas, celebrações religiosas, discursos, trajes especiais e uma infinidade de outras mais (...) (JANOTTI, 2008, p. 15).

                     O reggaeton pode ser categorizado como uma espécie de movimento cultural derivado do reggae e considerado uma mistura de estilos musicais, vindo das ilhas do caribe, devido à carência de fontes bibliográficas em relação à música propriamente dita, as fontes usadas serão documentárias e reportagens jornalísticas que tratam o estilo musical de forma direta, porem ao trabalhar com fontes não escritas o cuidado deve ser redobrado.

 

O conceito moderno de documento rejeita a máxima metódica "o documento fala por si". Portanto, as armadilhas de um documento audiovisual ou musical podem ser da mesma natureza das de um texto escrito. Mas é inegável que a maior armadilha reside na ilusão de objetividade do documento audiovisual, tomado como registro mecânico da realidade (vivida ou encenada) ou da pretensa subjetividade impenetrável do documento artístico-cultural (NAPOLITANO, 2008, p.239).

O objetivo é dar voz aos artistas que compõem esse gênero musical dando visibilidade e credibilidade para serem levado em consideração seus depoimentos e suas concepções em relação à música, cultura e a construção que o reggaeton percorreu para se tornar o que conhecemos por reggaeton. Abundantemente seus ideais e seus valores estão ligados a um plano de sucesso, onde sair da pobreza, ser reconhecido, viajar o mundo e se manter no mercado está solidamente arraigado. É preciso esclarecer um nacionalismo muito forte nos cantores de reggaeton, principalmente quando estão fora de seu país realizando shows, essas características estão presente em suas letras de músicas onde enaltecer o país de origem é sempre uma forma de não se esquecer de onde vieram. Há também em algumas canções a ideia de América – latina, cantores trazem em suas canções os nomes de todos os países buscando certa união através da música é o exemplo das canções: La Gozadera de Gente de Zona e Marc Anthony, Rumba de Wisin e Anahí. São canções que buscam uma integração entre os povos do continente latino- americano, no entanto a questão mercadológica se sobrepõe sobre qualquer intenção de interagir.

Sobre o reggaeton propriamente dito existe um documentário por nome de: El Origen Del Reggaeton - Chosen Few El Documental disponível no You Tube relatando passo a passo sobre este novo estilo que surge na década de 1980 no Panamá e vai vigorar sua essência em Porto Rico, é importante considerar esse documento, pois ele tem muito a dizer sobre os novos cantores que surgiram, sua contribuição é de forma clara e imediata, se tratando de algumas entrevistas feitas aos defensores do reggaeton. El General pode ser considerado o primeiro cantor de reggae panamenho a dar um pouco mais de movimento a esse estilo até então muito lento.

...mi nombre es Edgardo Franco mas conocido como ragamuffin “El General” y bueno estoy cantando desde que tengo dies, doce años, y el reggae realmente entro em mi vida en 1978 nosotros agaravamos los instrumentales que venian de Jamaica Y eran como 33 en otro aceleravamos a 45 porque era roots reggae, y asi fue como el reggae empezó a tomar un poquito mas de movimiento. Tenía un grupo que se llamava Renato y las quatro estellas y yo era uno de las estellas de este grupo, y Renato no hablava español pero el se esfuerzo y dijo: - yo tengo que oir reggae em español! El le dio y le dio y lle dio y salio reggae en español...(El General, 2012)                    

 

A grande questão relacionada ao movimento reggaeton e a comunidade acadêmica é justamente com o impacto negativo que algumas canções causam na sociedade, como o uso de drogas licitas e ilícitas e a prostituição, no entanto faz se necessário quando falamos de sociedade como um todo, analisarmos todo tipo de material tentando a todo instante deixar que o objeto de pesquisa fale por si só, buscando a imparcialidade para que o trabalho em questão seja elaborado de forma qualitativa e faça sentido ao ler.  O relato de El General pode ser classificado como peça fundamental para entender as origens deste estilo musical, toda a relação entre Panamá e Jamaica, o contexto da construção do canal e outros fatores que levou a aproximação entre os dois países considerar também para se tratar de musica é claramente impossível imaginar barreiras e impasses geopolíticos, ou ideológicos se levar em conta as redes sociais e outros veículos de comunicação, é impossível entender um estilo musical altamente relativo no que diz respeito a letras musicais, sem ao menos ouvi-las, esse prejulgamento ocorre pelo simples fato de não se identificar ideologicamente com o tipo de material produzido por estes cantores.

A desconstrução de uma construção é algo que infelizmente não ocorre de forma pacifica no campo das ideias, propor um debate historiográfico e outras formas de analise significa receber criticas principalmente da corrente marxista este pode ser considerado o grande desafio historiográfico do século XXI, permitir o debate e o empasse relacionado a história.

Mais adiante no mesmo documentário el origen del reggaton outros artistas falam a respeito desse novo estilo que surgia nas ilhas do caribe na década de 1980 Vico C fala sobre o tema:

...Reggaeton como tal, yo siempre dijo es un complemento que se a conbiertido em algo muy inportante, porque esencial hip-hop pero con un sabor mas conpatible con el caribe, con el latino... (Vico C, 2012)

Para Vico C em primeiro lugar esta a influência do hip-hop e depois o surgimento do reggaeton, interessante notar a contradição dos próprios cantores em relação à origem desse movimento, estabelecer uma data, ou um fato para explicar a musica é um trabalho desgastante, pois ela surge de forma natural em qualquer ambiente.

Fator determinante para compreender a enrascada do mundo musical é sem duvida analisar o perfil de quem ouve e frequenta shows de determinado estilo neste caso o reggaeton, de fato essa demanda caminha de acordo com o tempo, já se migrou do disco de vinil, fita, cd, dvd e atualmente as músicas podem estar em qualquer lugar com a internet, para os cantores a relação com os fãs está bem mais aproximada do que era os cantores  no século XX, estabelecer essa relação entre cantor e público-alvo  fica por conta do marketing. Cabe entender o oque leva o argentino, boliviano, chileno entre outros, se identificarem com esses cantores não é esse o nosso objetivo no projeto, mas é uma questão que nos leva a reflexão, que pode estar relacionada a uma serie de fatores entre eles o idioma.

Outro depoimento importante é de Coyote, um radialista de Puerto Rico que foi pioneiro na divulgação do trabalho dos novos artistas da musica urbana.

(...) Bueno la emisora mix es un... es la, la estasion la primera, diriamo a sonar  vente quatro horas por dia y siete dia la semana reggaeton. Sonando em el momento la falta  que hacia pal 1999 em Puerto Rico despues que el genero estaba ganando fuersa, estaba creciendo... yo trabajava em una radio que se llamava I-96... poniendo esta musica le cortan de todas las estaciones de radio inclusive de la television. Y entonces fue hai que um equipo de trabajo que esta comigo, decidimo crear MIX la primera estacion de radio a sonar 24 horas por dia el reggaeton. Despues que habían boicotiado de la radio y de la television... pues decidimos crear (...) las criticas no paran pero seguimos pa lante tu sabe como es hoy em día es la radio que mas se escucha em Puerto Rico(...)

Neste depoimento fica clara a dificuldade do reggaeton em se consagrar claramente um estilo visto como maus olhos, a grande questão é a força que esses cantores tiveram para continuar e se tornarem o que são  essa radio existente até hoje em Porto Rico  foi sem duvida peça fundamental na divulgação desse trabalho, criando uma perspectiva aos jovens cantores naquele tempo.

Contudo o reggaeton não foge da regra do mundo globalizado, vende sua imagem de forma atrativa e sem receios indo de um show em um estádio de futebol a um templo religioso, realmente a musica pode ultrapassar fronteiras e desconstruir ideias preestabelecida, esse potencial é sem duvida um grande avanço nas relações globais de um mundo conectado dia após dia cada vez mais.

 

CONCLUSÃO:

A percepção que se tem ao olhar para a história do reggaeton pode ser classificada como uma mistura de estilos que configuram um novo ritmo, sem precedentes pode ser considerada um dos estilos latinos mais conhecidos mundialmente, conquistando seu espaço no mercado americano de forma gradual conquistando espaço na Rússia e oriente médio, musica visivelmente dançante tendo sua total hegemonia em Porto Rico já é epidêmica em outros países como, por exemplo, na Colômbia atualmente há uma quantidade de cantores reggaetoneros conquistando seus espaços e atingindo seu público-alvo.

Partindo do anterior, se pode dizer que o reggaeton é uma representação da sociedade contemporânea no aspecto musical apresentando características de uma globalização e atendendo ao seu publico de forma compatível se encaixando muito bem em cada país justamente por não se tratar de ideologia e politica e sim de música, esse fenômeno surgido do imprevisto, conta com cerca de 20 cantores conhecidos mundialmente sem contar alguns que nunca saíram de Puerto Rico, de certa forma toda critica realizada sobre as letras produzidas tem sua importância e deve ser considerado para entender sua conjuntura, porem ignorar a massa de seguidores e cantores defensores deste movimento é prematuridade diante de uma pesquisa que não pode ser dada como definida, pois o reggaeton não para de ser reinventado e a musica de forma geral não tem fim.

 

 

  

 

 

 

                                                           

 

[1] Graduando do Curso de Licenciatura em História – Faculdade União das Américas/Foz do Iguaçu - PR – geo_pedroso@hotmail.com

[2] Graduando do Curso de Licenciatura em História – Faculdade União das Américas/Foz do Iguaçu – PR – rafa.vnr.92@gmail.com

[3] Como a temática do trabalho não analisa a “globalização’’ e seus gêneros que se insere neste fenômeno, estabelecemos que o termo globalização quando repassado tem como caráter o processo iniciado na segunda metade do séc. XX, e ampliada no início da década de 1990, que conduz a crescente integração das economias e das sociedades dos vários países, no que toca à produção de mercadorias e serviços, aos mercados financeiros, à difusão de informações interligadas, e a integração cultural.

[4] Processo pelo qual duas ou mais culturas diferentes, entrando em contato contínuo, originam mudanças importantes em uma delas ou em ambas. Quando dois ou mais grupos entram em contato direto e contínuo, geralmente ocorrem mudanças culturais nos grupos, pois verifica-se a transmissão de traços culturais de uma sociedade para outra. Alguns traços são rejeitados e outros aceitos, incorporando-se, frequentemente com alterações significativas, à cultura resultante. É a fusão de culturas diversas, dando origem a uma nova cultura.

 

OUVIR NOTÍCIA

 

 

 Por: Giovanni Antunes  e Rafael Vinicius Nunes Rodriguez

 

RESUMO

Este trabalho tem como objetivo  analisar e compreender como o estilo musical denominado ‘’reggaeton’’, foi inserido ou apropriado pelo mercado da música global, e ocupou espaço em um mercado musical competitivo. E transpassar a visão acadêmica em relação ao reggaeton buscando levantar o máximo de informações sobre a temática, trazendo à tona todos os seus impactos.

 

Palavras-chave: América Latina, Cultural, Fronteira, Globalização, Mercado, Musica.

 

Abstract

This study aims to analyze and understand how the so-called musical style '' reggaeton '' was inserted or appropriate by the global music market, and occupied space in a competitive music market. And pierce the academic vision of the reggaeton seeking to raise as much information on the subject, bringing out all its impacts.

Keywords: Latin America, Cultural, Border, Globalization, Market, Music.

 

 

 INTRODUÇÃO

 O presente trabalho busca compreender como o reggaeton atingiu o ápice da música globalizada atravessando fronteiras e atingindo países da América, Ásia e Europa. O estilo musical primeiramente conhecido como “reguetón panamenho”, teve sua primeira aparição no Panamá no final da década de 1970, mas foi em Porto Rico o seu sucesso no início da década de 1980. É necessário antes de se analisar o objetivo da temática, analisar os aspectos que esse gênero musical foi e está inserido, contextualizar sua origem, a relação cultural que havia com seus criadores e adeptos do estilo, e como esse estilo musical que nasceu no Caribe, foi apropriado pelo contexto mercadológico da música global, tendo os Estados Unidos como principal ator desse movimento, com suas gravadoras, mídia eletrônica e televisiva como principais difusores da globalização musical.  

Com o objetivo de se compreender como se ocorreu o fenômeno da globalização[3] de um estilo musical latino; de uma região que historicamente não havia necessariamente um estilo musical de reconhecimento internacional pelo mercado, e sim apenas uma breve lembrança musical fazendo ligação ao país e sua posição geográfica, como por exemplo, relacionar a Argentina ao Tango, Brasil ao Samba, e a região do Caribe ao Merengue; foi necessário analisar os contextos culturais globais iniciados a 20, 30 anos, com o fenômeno geopolítico da globalização não apenas do mercado no contexto tradicional. Nessa política mundial de globalização de mercado, também se buscou a globalização verdadeiramente multicultural e interdependente, que somente podemos compreender e mudar a partir de uma perspectiva plural que articule identidade cultural, interconexão global e política multidimensional.

 

CONTEXTUALIZANDO O REGGAETON

 

Em meados do século XIX, a França inicia a construção do Canal do Panamá, uma obra de suma importância que permitiu uma agilidade maior dos navios, caso não houvesse o canal, uma embarcação que, partindo da costa oeste americana, tivesse como destino a Europa, por exemplo, teria que dar a volta em torno da América do Sul. Esta obra atraiu muitos trabalhadores para essa obra que seria um dos maiores desafios e sua construção significaria uma importante conquista da engenharia. Entre estes trabalhadores estariam os jamaicanos trazendo para o Panamá, que na época ainda era um território da Colômbia, seus costumes entre eles a música reggae que encantaria os habitantes da região panamenha. Os primeiros cantores de reggae do Panamá surgem em áreas periféricas, os reggaes em espanhol foram ganhando força devido a uma preservação cultural arraigada pelos jamaicanos residentes nas proximidades da construção do canal, no entanto o primeiro disco de reggae panamenho tem seu registo na década de 1970. Em 1903 o Panamá conquista sua independência com interferência direta dos Estados Unidos, e como ‘’retribuição’’ pelo apoio na sua independência, construção do canal passa a ser responsabilidade dos americanos e os franceses deixam de serem os responsáveis pela obra. Os americanos trazem com essa nova administração um grupo de trabalhadores que devida à facilidade de se comunicarem com os descendentes de jamaicanos que viviam no Panamá, pois ambos têm o inglês como língua oficial, criam vínculos com os nativos panamenhos e demais grupos caribenhos recém-chegados para dar fim à construção do canal que só seria inaugurado em 1914.

Ao analisar o contexto onde o reggaeton está inserido, e como ele surge é possível notar como a música está inteiramente ligada à cultura de um povo ou de vários povos.

Povos do mundo todo produziam musica muito antes das primeiras orquestras, surgidas durante o barroco europeu, no século 16, e mesmo muito antes do século 11, quando Guido d’Arezzo criou a notação musical da forma como a estudamos até hoje. Feitas para cerimônias religiosas ou festivas, essas primeiras musicas, de diferentes culturas, nos influenciam até os dias atuais (ALENCAR, 2008).

Ao se referir ao reggaeton e sua origem caribenha é de certa forma uma complexidade compreende-lo, se percebe uma aculturação[4] nos primeiros registros desse estilo musical e quando já possui características de um fenômeno global. A mistura de gêneros musicais na década de 1980 era muita, e isso se refletiu até se chegar ao que hoje conhecemos por reggaeton latino. É certo que o reggaeton que se ouve no século XXI é uma construção do ponto de vista cultural e interesse mercadológico.

Na década de 80 o mundo vive um fervor cultural e social de grandes proporções. A luta política da época, como por democracia no leste europeu, e na América Latina, se reflete na cultura da época. Nos países que não tiveram uma experiência de um governo ditatorial, se produziam musicas e canções de cunho político em clamor as liberdades ainda não conquistadas nos países. Com isso, o rock, o pop, trazia em suas letras de caráter contraditório da sociedade, como a exaltação dos corpos femininos, a liberdade sexual, e o uso de drogas. O reggaeton vai ter seu firmamento em Porto rico onde se espalha pelas discotecas de todo pais se tornando uma referência musical pop para jovens e adultos, e tendo logo de cara críticas, pois o reggaeton, assim como boa parte das musicas pop da época, fazia apologia ao sexo e seus críticos diziam que impulsionaria as pessoas ao uso de entorpecentes e bebidas alcoólicas.

 

El reggaetón es um género musical que, en actualidad, cuenta com gran difusión a través de los medios  de comunicación de masas así como digitales. Además tiene la posibilidad de consumo alternativo (piratería, música clonada). Es una música que alude a lo sexual de manera implícita y/o explí- cita, tanto en la letra de las canciones como en las imágenes de los videos musicales, así como en la forma de bailarla, llamada “perreo”. En estas expresiones se manifiestan de manera explícita diversas diferencias de género (ASELA, 2014).

 

Se produziu em relação ao reggaeton, críticas e críticos que buscavam de certa forma como um fenômeno que caracterizaria males a sociedade latino-americana, como por exemplo, a proibição do estilo musical em Cuba, sob a alegação de que “letras agressivas, sexualmente explícitas, obscenas, que deturpam a sexualidade das mulheres cubanas, projetando-as como grotescos objetos sexuais com gestos ainda mais grotescos” seriam proibidas na ilha. Mesmo que “características musicais” do reggaeton, que foram argumentos para a proibição sejam encontradas em outros estilos musicais, segundo o presidente do Instituto Cubano da Música, Orlando Vistel, responsável pelo controle das rádios estatais da ilha dos Castros: “Não devemos particularizar um gênero, mas é evidente que isso é muito mais notório no reggaeton”. É visível de certa forma a influência da música de modo geral em todos os países, no entanto afirmar que um estilo de música é responsável por todos os atos considerados inadequados, é sem dúvida uma forma de desqualificar um estilo, apenas pelo seu ritmo, e uma possível desonestidade intelectual na hora de selecionar fontes possivelmente ligadas a cunhos ideológicos.

 O uso de fontes é um discurso muito importante na historiografia, porém na prática o apego a fontes bibliográficas e a documentos oficiais ainda está preferível, dizer que o reggaeton influencia as pessoas, de fato é uma verdade, contudo é inadmissível não levarmos em consideração o seu valor cultural através da música. Por esses fatores, a pesquisa deve abranger as mais diversas áreas de comunicação tratando-se de um gênero musical em uma sociedade heterogênea e em um mundo globalizado todos os recursos possíveis estão sendo abordados. Levando em consideração autores que defendem a diversidade nas fontes.

 

Na amostragem de novos objetos da História encontram-se trabalhos sobre o clima, o inconsciente, o mito, o cotidiano, as mentalidades, a língua: Linguística e História, livro, filmes, letreiros, legendas, técnicas de filmagem, filmes de propaganda política, festas de loucos, fantasias, comemorações nacionais, bailes, cores, programas de festas públicas e particulares, homenagens, musicas, celebrações religiosas, discursos, trajes especiais e uma infinidade de outras mais (...) (JANOTTI, 2008, p. 15).

                     O reggaeton pode ser categorizado como uma espécie de movimento cultural derivado do reggae e considerado uma mistura de estilos musicais, vindo das ilhas do caribe, devido à carência de fontes bibliográficas em relação à música propriamente dita, as fontes usadas serão documentárias e reportagens jornalísticas que tratam o estilo musical de forma direta, porem ao trabalhar com fontes não escritas o cuidado deve ser redobrado.

 

O conceito moderno de documento rejeita a máxima metódica "o documento fala por si". Portanto, as armadilhas de um documento audiovisual ou musical podem ser da mesma natureza das de um texto escrito. Mas é inegável que a maior armadilha reside na ilusão de objetividade do documento audiovisual, tomado como registro mecânico da realidade (vivida ou encenada) ou da pretensa subjetividade impenetrável do documento artístico-cultural (NAPOLITANO, 2008, p.239).

O objetivo é dar voz aos artistas que compõem esse gênero musical dando visibilidade e credibilidade para serem levado em consideração seus depoimentos e suas concepções em relação à música, cultura e a construção que o reggaeton percorreu para se tornar o que conhecemos por reggaeton. Abundantemente seus ideais e seus valores estão ligados a um plano de sucesso, onde sair da pobreza, ser reconhecido, viajar o mundo e se manter no mercado está solidamente arraigado. É preciso esclarecer um nacionalismo muito forte nos cantores de reggaeton, principalmente quando estão fora de seu país realizando shows, essas características estão presente em suas letras de músicas onde enaltecer o país de origem é sempre uma forma de não se esquecer de onde vieram. Há também em algumas canções a ideia de América – latina, cantores trazem em suas canções os nomes de todos os países buscando certa união através da música é o exemplo das canções: La Gozadera de Gente de Zona e Marc Anthony, Rumba de Wisin e Anahí. São canções que buscam uma integração entre os povos do continente latino- americano, no entanto a questão mercadológica se sobrepõe sobre qualquer intenção de interagir.

Sobre o reggaeton propriamente dito existe um documentário por nome de: El Origen Del Reggaeton - Chosen Few El Documental disponível no You Tube relatando passo a passo sobre este novo estilo que surge na década de 1980 no Panamá e vai vigorar sua essência em Porto Rico, é importante considerar esse documento, pois ele tem muito a dizer sobre os novos cantores que surgiram, sua contribuição é de forma clara e imediata, se tratando de algumas entrevistas feitas aos defensores do reggaeton. El General pode ser considerado o primeiro cantor de reggae panamenho a dar um pouco mais de movimento a esse estilo até então muito lento.

...mi nombre es Edgardo Franco mas conocido como ragamuffin “El General” y bueno estoy cantando desde que tengo dies, doce años, y el reggae realmente entro em mi vida en 1978 nosotros agaravamos los instrumentales que venian de Jamaica Y eran como 33 en otro aceleravamos a 45 porque era roots reggae, y asi fue como el reggae empezó a tomar un poquito mas de movimiento. Tenía un grupo que se llamava Renato y las quatro estellas y yo era uno de las estellas de este grupo, y Renato no hablava español pero el se esfuerzo y dijo: - yo tengo que oir reggae em español! El le dio y le dio y lle dio y salio reggae en español...(El General, 2012)                    

 

A grande questão relacionada ao movimento reggaeton e a comunidade acadêmica é justamente com o impacto negativo que algumas canções causam na sociedade, como o uso de drogas licitas e ilícitas e a prostituição, no entanto faz se necessário quando falamos de sociedade como um todo, analisarmos todo tipo de material tentando a todo instante deixar que o objeto de pesquisa fale por si só, buscando a imparcialidade para que o trabalho em questão seja elaborado de forma qualitativa e faça sentido ao ler.  O relato de El General pode ser classificado como peça fundamental para entender as origens deste estilo musical, toda a relação entre Panamá e Jamaica, o contexto da construção do canal e outros fatores que levou a aproximação entre os dois países considerar também para se tratar de musica é claramente impossível imaginar barreiras e impasses geopolíticos, ou ideológicos se levar em conta as redes sociais e outros veículos de comunicação, é impossível entender um estilo musical altamente relativo no que diz respeito a letras musicais, sem ao menos ouvi-las, esse prejulgamento ocorre pelo simples fato de não se identificar ideologicamente com o tipo de material produzido por estes cantores.

A desconstrução de uma construção é algo que infelizmente não ocorre de forma pacifica no campo das ideias, propor um debate historiográfico e outras formas de analise significa receber criticas principalmente da corrente marxista este pode ser considerado o grande desafio historiográfico do século XXI, permitir o debate e o empasse relacionado a história.

Mais adiante no mesmo documentário el origen del reggaton outros artistas falam a respeito desse novo estilo que surgia nas ilhas do caribe na década de 1980 Vico C fala sobre o tema:

...Reggaeton como tal, yo siempre dijo es un complemento que se a conbiertido em algo muy inportante, porque esencial hip-hop pero con un sabor mas conpatible con el caribe, con el latino... (Vico C, 2012)

Para Vico C em primeiro lugar esta a influência do hip-hop e depois o surgimento do reggaeton, interessante notar a contradição dos próprios cantores em relação à origem desse movimento, estabelecer uma data, ou um fato para explicar a musica é um trabalho desgastante, pois ela surge de forma natural em qualquer ambiente.

Fator determinante para compreender a enrascada do mundo musical é sem duvida analisar o perfil de quem ouve e frequenta shows de determinado estilo neste caso o reggaeton, de fato essa demanda caminha de acordo com o tempo, já se migrou do disco de vinil, fita, cd, dvd e atualmente as músicas podem estar em qualquer lugar com a internet, para os cantores a relação com os fãs está bem mais aproximada do que era os cantores  no século XX, estabelecer essa relação entre cantor e público-alvo  fica por conta do marketing. Cabe entender o oque leva o argentino, boliviano, chileno entre outros, se identificarem com esses cantores não é esse o nosso objetivo no projeto, mas é uma questão que nos leva a reflexão, que pode estar relacionada a uma serie de fatores entre eles o idioma.

Outro depoimento importante é de Coyote, um radialista de Puerto Rico que foi pioneiro na divulgação do trabalho dos novos artistas da musica urbana.

(...) Bueno la emisora mix es un... es la, la estasion la primera, diriamo a sonar  vente quatro horas por dia y siete dia la semana reggaeton. Sonando em el momento la falta  que hacia pal 1999 em Puerto Rico despues que el genero estaba ganando fuersa, estaba creciendo... yo trabajava em una radio que se llamava I-96... poniendo esta musica le cortan de todas las estaciones de radio inclusive de la television. Y entonces fue hai que um equipo de trabajo que esta comigo, decidimo crear MIX la primera estacion de radio a sonar 24 horas por dia el reggaeton. Despues que habían boicotiado de la radio y de la television... pues decidimos crear (...) las criticas no paran pero seguimos pa lante tu sabe como es hoy em día es la radio que mas se escucha em Puerto Rico(...)

Neste depoimento fica clara a dificuldade do reggaeton em se consagrar claramente um estilo visto como maus olhos, a grande questão é a força que esses cantores tiveram para continuar e se tornarem o que são  essa radio existente até hoje em Porto Rico  foi sem duvida peça fundamental na divulgação desse trabalho, criando uma perspectiva aos jovens cantores naquele tempo.

Contudo o reggaeton não foge da regra do mundo globalizado, vende sua imagem de forma atrativa e sem receios indo de um show em um estádio de futebol a um templo religioso, realmente a musica pode ultrapassar fronteiras e desconstruir ideias preestabelecida, esse potencial é sem duvida um grande avanço nas relações globais de um mundo conectado dia após dia cada vez mais.

 

CONCLUSÃO:

A percepção que se tem ao olhar para a história do reggaeton pode ser classificada como uma mistura de estilos que configuram um novo ritmo, sem precedentes pode ser considerada um dos estilos latinos mais conhecidos mundialmente, conquistando seu espaço no mercado americano de forma gradual conquistando espaço na Rússia e oriente médio, musica visivelmente dançante tendo sua total hegemonia em Porto Rico já é epidêmica em outros países como, por exemplo, na Colômbia atualmente há uma quantidade de cantores reggaetoneros conquistando seus espaços e atingindo seu público-alvo.

Partindo do anterior, se pode dizer que o reggaeton é uma representação da sociedade contemporânea no aspecto musical apresentando características de uma globalização e atendendo ao seu publico de forma compatível se encaixando muito bem em cada país justamente por não se tratar de ideologia e politica e sim de música, esse fenômeno surgido do imprevisto, conta com cerca de 20 cantores conhecidos mundialmente sem contar alguns que nunca saíram de Puerto Rico, de certa forma toda critica realizada sobre as letras produzidas tem sua importância e deve ser considerado para entender sua conjuntura, porem ignorar a massa de seguidores e cantores defensores deste movimento é prematuridade diante de uma pesquisa que não pode ser dada como definida, pois o reggaeton não para de ser reinventado e a musica de forma geral não tem fim.

 

 

  

 

 

 

                                                           

 

[1] Graduando do Curso de Licenciatura em História – Faculdade União das Américas/Foz do Iguaçu - PR – geo_pedroso@hotmail.com

[2] Graduando do Curso de Licenciatura em História – Faculdade União das Américas/Foz do Iguaçu – PR – rafa.vnr.92@gmail.com

[3] Como a temática do trabalho não analisa a “globalização’’ e seus gêneros que se insere neste fenômeno, estabelecemos que o termo globalização quando repassado tem como caráter o processo iniciado na segunda metade do séc. XX, e ampliada no início da década de 1990, que conduz a crescente integração das economias e das sociedades dos vários países, no que toca à produção de mercadorias e serviços, aos mercados financeiros, à difusão de informações interligadas, e a integração cultural.

[4] Processo pelo qual duas ou mais culturas diferentes, entrando em contato contínuo, originam mudanças importantes em uma delas ou em ambas. Quando dois ou mais grupos entram em contato direto e contínuo, geralmente ocorrem mudanças culturais nos grupos, pois verifica-se a transmissão de traços culturais de uma sociedade para outra. Alguns traços são rejeitados e outros aceitos, incorporando-se, frequentemente com alterações significativas, à cultura resultante. É a fusão de culturas diversas, dando origem a uma nova cultura.

 

Fonte

http://www.reggaeton.com.ua/index.php/%D0%98%D1%81%D1%82%D0%BE%D1%80%D0%B8%D1%8F_%D0%BF%D0%BE%D1%8F%D0%B2%D0%BB%D0%B5%D0%BD%D0%B8%D1%8F_Reggaeton visualizado em 29 de agosto de 2016 ROJAS, Vera rojas. El ‘dembow’: el género que divide a los dominicanos. Disponível em: El País.com, 17 set. 2013. Aces

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Sociedade
MP-PR pede afastamento do presidente do Conselho Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu
MP-PR pede afastamento do presidente do Conselho Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu
VISUALIZAR
Sociedade
OAB se pronuncia depois de declaração do Procurador Ricardo Albuquerque da Silva, sobre a...
OAB se pronuncia depois de declaração do Procurador Ricardo Albuquerque da Silva, sobre a escravidão do país.
VISUALIZAR
Agenda de Eventos
Bate-papo literário com Carmen Barudi
Bate-papo literário com Carmen Barudi
VISUALIZAR
Política
TSE facilita caminho para futuro partido de Bolsonaro, onde metade da cúpula é investigada
TSE facilita caminho para futuro partido de Bolsonaro, onde metade da cúpula é investigada
VISUALIZAR
Sociedade
Brasil ganha prêmio 'Fóssil do Dia' na COP 25 por 'culpar a sociedade civil pelas queimadas...
Brasil ganha prêmio 'Fóssil do Dia' na COP 25 por 'culpar a sociedade civil pelas queimadas na Amazônia'
VISUALIZAR
Sociedade
Estudantes, trabalhadores e sonhadores. Quem eram os jovens que morreram após ação da PM em...
Estudantes, trabalhadores e sonhadores. Quem eram os jovens que morreram após ação da PM em baile funk
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )