Portal NFL

Em Alta

“Francischini: O articulador político de Bolsonaro financiou maior rede de fake news do Facebook, retirada hoje do ar.

O deputado Delegado Franceschini (PSL-PR), coordenador da campanha presidencial de Jair Bolsonaro (PSL),
“Francischini: O articulador político de Bolsonaro financiou maior rede de fake news do Facebook, retirada hoje do ar.
108

“Francischini: O articulador político de Bolsonaro financiou maior rede de fake news do Facebook, retirada hoje do...

Por Vinicius Segalla

O deputado Delegado Franceschini (PSL-PR), coordenador da campanha presidencial de Jair Bolsonaro (PSL), doou R$ 24 mil à maior rede de fake news e contas falsas que atuava na eleição brasileira. Nesta segunda-feira (22), a rede social Facebook anunciou ter desbaratado o esquema e retirado do ar “um grupo de 68 páginas e 43 contas da rede social que, juntas, formavam a maior rede pró-Bolsonaro da internet”, como informa o jornal “O Estado de S.Paulo”.

O diário paulista não informou, porém, que esta rede ilegal pró-Bolsonaro comprovadamente já recebeu dinheiro do coordenador da campanha do capitão da reserva. Esta informação consta em outra reportagem, do Portal UOL, publicada em maio deste ano.

Assim, cruzando as duas informações publicadas com alguns meses de intervalo, resta provado que a coordenação da campanha de Bolsonaro financiou uma gigantesca rede de contas e notícias falsas que atuava no Facebook em favor do candidato do PSL.

Entenda o caso

Segundo o Estadão, o Facebook removeu nesta segunda-feira um grupo de 68 páginas e 43 contas da rede social que, juntas, formavam a maior rede pró-Bolsonaro da internet. Segundo a empresa, os donos dessas páginas, controladores de um grupo chamado Raposo Fernandes Associados (RFA), criaram contas falsas e múltiplas contas com os mesmos nomes para administrar os grupos.

Seus donos são conhecidos propagadores de fake news pela internet, notadamente por meio do site Folha Política. Informa o Estadão: “Um casal – o advogado Ernani Fernandes e sua mulher, Thais Raposo – montou um “império” de páginas e sites com apoio de conhecidas figuras conservadoras no País, como Alexandre Frota e Marcello Reis, do Revoltados Online. O Facebook investigava a rede há meses em sigilo.”

Já em reportagem do portal UOL, de maio deste ano, se lê: Seis notas fiscais pagas pelo gabinete do deputado federal Fernando Francischini (PSL-PR), o Delegado Francischini, apontam que o parlamentar destinou R$ 24 mil de sua cota parlamentar, no período entre dezembro do ano passado e abril deste ano, para uma empresa em nome de um casal que administra uma rede de sites apontados como veículos que propagam fake news.

As notas foram emitidas pela empresa Novo Brasil Empreendimentos Digitais, que tem como sócios registrados junto à Receita Federal a advogada Thais Raposo Chaves e seu marido, Ernani Fernandes. Ele também aparece como responsável pelo domínio do site de conteúdo político engajado Folha Política (que não tem nenhuma relação com o Grupo Folha).

Desde dezembro, a Folha Política publicou em suas páginas diversos textos em que cita o deputado Francischini. Eles têm títulos como ‘Delegado Francischini fala ‘na lata’ o que pensa de Lula’ ou ‘Delegado e Bolsonaro apresentam projeto de lei para acabar com privilégios para ex-presidentes’.”

Veja, abaixo uma das cinco notas fiscais (todas constantes no Portal da Transparência do governo federal) que provam o pagamento, por parte do coordenador de campanha de Bolsonaro, à rede de perfis falsos desbaratada nesta segunda.

Clique aqui e conheça a América Latina: 

Cataratas do Iguaçu do Brasil e da Argentina

Conheça o Chile e passe por experiência únicas

Tango, Carne e belezas naturais, a fascinante Argentina

São Paulo um dos maiores centros culturais do mundo!

Uruguay de Punta del Este a Montevidéu um país livre para todos!

OUVIR NOTÍCIA

O deputado Delegado Franceschini (PSL-PR), coordenador da campanha presidencial de Jair Bolsonaro (PSL), doou R$ 24 mil à maior rede de fake news e contas falsas que atuava na eleição brasileira. Nesta segunda-feira (22), a rede social Facebook anunciou ter desbaratado o esquema e retirado do ar “um grupo de 68 páginas e 43 contas da rede social que, juntas, formavam a maior rede pró-Bolsonaro da internet”, como informa o jornal “O Estado de S.Paulo”.

O diário paulista não informou, porém, que esta rede ilegal pró-Bolsonaro comprovadamente já recebeu dinheiro do coordenador da campanha do capitão da reserva. Esta informação consta em outra reportagem, do Portal UOL, publicada em maio deste ano.

Assim, cruzando as duas informações publicadas com alguns meses de intervalo, resta provado que a coordenação da campanha de Bolsonaro financiou uma gigantesca rede de contas e notícias falsas que atuava no Facebook em favor do candidato do PSL.

Entenda o caso

Segundo o Estadão, o Facebook removeu nesta segunda-feira um grupo de 68 páginas e 43 contas da rede social que, juntas, formavam a maior rede pró-Bolsonaro da internet. Segundo a empresa, os donos dessas páginas, controladores de um grupo chamado Raposo Fernandes Associados (RFA), criaram contas falsas e múltiplas contas com os mesmos nomes para administrar os grupos.

Seus donos são conhecidos propagadores de fake news pela internet, notadamente por meio do site Folha Política. Informa o Estadão: “Um casal – o advogado Ernani Fernandes e sua mulher, Thais Raposo – montou um “império” de páginas e sites com apoio de conhecidas figuras conservadoras no País, como Alexandre Frota e Marcello Reis, do Revoltados Online. O Facebook investigava a rede há meses em sigilo.”

Já em reportagem do portal UOL, de maio deste ano, se lê: Seis notas fiscais pagas pelo gabinete do deputado federal Fernando Francischini (PSL-PR), o Delegado Francischini, apontam que o parlamentar destinou R$ 24 mil de sua cota parlamentar, no período entre dezembro do ano passado e abril deste ano, para uma empresa em nome de um casal que administra uma rede de sites apontados como veículos que propagam fake news.

As notas foram emitidas pela empresa Novo Brasil Empreendimentos Digitais, que tem como sócios registrados junto à Receita Federal a advogada Thais Raposo Chaves e seu marido, Ernani Fernandes. Ele também aparece como responsável pelo domínio do site de conteúdo político engajado Folha Política (que não tem nenhuma relação com o Grupo Folha).

Desde dezembro, a Folha Política publicou em suas páginas diversos textos em que cita o deputado Francischini. Eles têm títulos como ‘Delegado Francischini fala ‘na lata’ o que pensa de Lula’ ou ‘Delegado e Bolsonaro apresentam projeto de lei para acabar com privilégios para ex-presidentes’.”

Veja, abaixo uma das cinco notas fiscais (todas constantes no Portal da Transparência do governo federal) que provam o pagamento, por parte do coordenador de campanha de Bolsonaro, à rede de perfis falsos desbaratada nesta segunda.

Clique aqui e conheça a América Latina: 

Cataratas do Iguaçu do Brasil e da Argentina

Conheça o Chile e passe por experiência únicas

Tango, Carne e belezas naturais, a fascinante Argentina

São Paulo um dos maiores centros culturais do mundo!

Uruguay de Punta del Este a Montevidéu um país livre para todos!

Fonte

Por Vinicius Segalla

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Economia
Com R$ 13,7 bi, Bradesco e Itaú lideram lucros, enquanto Petrobras tem prejuízo de R$ 51,5...
Com R$ 13,7 bi, Bradesco e Itaú lideram lucros, enquanto Petrobras tem prejuízo de R$ 51,5 bi na pandemia
VISUALIZAR
Sociedade
Bolsonaro veta auxílio a agricultores familiares
Bolsonaro veta auxílio a agricultores familiares
VISUALIZAR
Política
“Em agenda em Foz do Iguaçu Bolsonaro é recebido com faixa: Por que Michelle recebeu R$ 89...
“Em agenda em Foz do Iguaçu Bolsonaro é recebido com faixa: Por que Michelle recebeu R$ 89 mil do Queiroz?”
VISUALIZAR
Sociedade
Agrotóxico glifosato tem nova condenação nos EUA por causar câncer
Agrotóxico glifosato tem nova condenação nos EUA por causar câncer
VISUALIZAR
Sociedade
'Já deixei de comer, mas não quero que o meu bicho passe fome', diz idosa que apela por...
'Já deixei de comer, mas não quero que o meu bicho passe fome', diz idosa que apela por adoção de seus mais de 20 pets
VISUALIZAR
Sociedade
Moby chama atenção para desmatamento na Amazônia em novo clipe
Moby chama atenção para desmatamento na Amazônia em novo clipe
VISUALIZAR