A nova era da informação!

Em Alta

Dia do Imigrante Italiano no Brasil

“Venham construir os seus sonhos com a família. Um país de oportunidade. Clima tropical e abundância.
Dia do Imigrante Italiano no Brasil
25

Dia do Imigrante Italiano no Brasil

Por Dario

Venham construir os seus sonhos com a família. Um país de oportunidade. Clima tropical e abundância. Riquezas minerais. No Brasil vocês poderão ter o seu castelo. O governo dá terras e utensílios a todos.

Com essa frase estampada em cartazes e propagandas o governo convidava os italianos a virem para o Brasil começar uma nova vida com suas famílias e dar início a uma bela história de comunhão entre esses 2 povos, a qual perdura até hoje.

No dia 21 de fevereiro é comemorado o Dia do Imigrante Italiano no Brasil. Estima-se que mais de 30 milhões de brasileiros são descendentes de italianos, o que faz do Brasil o país com maior número de descendentes italianos no mundo. É muita gente mesmo! Por isso que muitos hábitos da cultura e do povo italiano podem ser encontrados na nosso dia a dia, ainda que com uma certa pitada de brasilidade.

Os traços da cultura italiana estão presentes na gastronomia, na agricultura e no próprio modo de viver em família, sempre com muita alegria e disposição.

Origem da Celebração do Dia do Imigrante Italiano no Brasil

A data escolhida para comemorar o Dia do Imigrante Italiano no Brasil se refere à data de chegada dos primeiros imigrantes italianos aqui, trazidos pelo navio La Sofia. Cerca de 380 camponeses desembarcaram no Brasil em 21 de fevereiro de 1874.

Essa data foi sancionada através de uma lei, em junho de 2008, pelo então vice-presidente do Brasil, José de Alencar, como forma de homenagear o povo italiano que veio para o Brasil e ajudou a construir a nossa história.

“A data é uma homenagem ao imigrante italiano que, vindo de terras distantes, engajou-se nas nossas lutas, fez prosperar cidades, construiu escolas, igrejas, restaurantes, hospitais e cultivou a terra. Em busca de novos horizontes, famílias inteiras trouxeram seus hábitos, seus costumes, sua religiosidade, a sua formação profissional enriqueceram a nossa cultura”, destacou o texto do Itália Oggi.

Relembrando a História

imigrante italiano1

Como já contamos aqui, no texto Imigração Italiana no Brasil, a imigração dos italianos para o Brasil foi altamente incentivada pelo governo brasileiro na época.

Mas é preciso ressaltar que toda essa campanha a favor da imigração só funcionou porque tanto o Brasil quanto a Itália tinham interesses comuns. Enquanto o Brasil precisava repor a sua mão de obra agrícola, após a abolição da escravatura, a Itália precisava recompor suas famílias financeiramente, depois de forte recessão.

A primeira leva de imigrantes italianos partiu do porto de Gênova, no dia 03 de janeiro de 1874, a bordo do navio a vela de bandeira francesa chamado La Sofia. Eram, ao todo, 386 imigrantes trentinos e vênetos, que desembarcaram no Espírito Santo em 21 de fevereiro do mesmo ano.

Essas famílias foram trazidas por Pietro Tabacchi, que veio para o Brasil no início da década de 1850. Aqui, era proprietário de uma fazenda no município de Santa Cruz (atual cidade de Aracruz, localizada no litoral norte capixaba) chamada “Nova Trento”, nome dado em homenagem à sua terra natal. Em acordo com o governo brasileiro, Tabacchi ofereceu 12 hectares de terra a cada família imigrante por um preço “favorável” para, em troca, receber o direito de exportar 3,5 mil jacarandás.

Depois disso, os italianos continuaram a vir para o Brasil e a povoar terras, principalmente, no sul e sudeste do país.

 

As viagens de navio

Dia do Imigrante Italiano no Brasil
Esquema da divisão dos navios que traziam os imigrantes e cartaz com a propaganda para incentivar a vinda dos italianos.

As viagens de navio da Itália para o Brasil eram longas e muito cansativas. As condições dos Vapores não era lá das melhores -na verdade, elas chegavam a ser consideradas péssimas.

O número enorme de passageiros e as precárias condições sanitária e de higiene eram uma porta aberta para proliferação de doenças como sarampo e cólera, além dos surtos de piolho que eram muito comuns nos navios.

Os imigrantes italianos viajavam na parte inferior dos navios, perto dos porões, locais úmidos e sem ventilação, em quartos lotados, ocupados muitas vezes por mais de uma família.

Nessas condições, não era muito difícil ocorrer mortes durante a viagem até o Brasil. Como não era possível permanecer como os corpos dentro dos navios, eles eram colocados em um saco de pano e lançados ao mar após uma pequena cerimônia religiosa.

Para ajudar a passar o tempo dentro do navio, tornar a viagem mais leve e evitar que o pensamento pairasse em tudo e em todos que foram deixados para trás, a cantoria era comum, e uma das músicas preferidas era a canção folclórica Mérica, Mérica: – “Mérica, Mérica, Mérica, cossa sarà ‘sta Mérica? Mérica, Mérica, Mérica”.

Hoje, então, é dia de enaltecermos este ato de coragem dos nossos antepassados, reconhecendo a importância do legado cultural, histórico e social que nos foi deixado.

Comemoremos o dia dedicado ao imigrante italiano! Afinal, somos a continuação dessa história.

 

Clique aqui e conheça a América Latina: 

Cataratas do Iguaçu do Brasil e da Argentina

Conheça o Chile e passe por experiência únicas

Tango, Carne e belezas naturais, a fascinante Argentina

São Paulo um dos maiores centros culturais do mundo!

Uruguay de Punta del Este a Montevidéu um país livre para todos!

OUVIR NOTÍCIA

Venham construir os seus sonhos com a família. Um país de oportunidade. Clima tropical e abundância. Riquezas minerais. No Brasil vocês poderão ter o seu castelo. O governo dá terras e utensílios a todos.

Com essa frase estampada em cartazes e propagandas o governo convidava os italianos a virem para o Brasil começar uma nova vida com suas famílias e dar início a uma bela história de comunhão entre esses 2 povos, a qual perdura até hoje.

No dia 21 de fevereiro é comemorado o Dia do Imigrante Italiano no Brasil. Estima-se que mais de 30 milhões de brasileiros são descendentes de italianos, o que faz do Brasil o país com maior número de descendentes italianos no mundo. É muita gente mesmo! Por isso que muitos hábitos da cultura e do povo italiano podem ser encontrados na nosso dia a dia, ainda que com uma certa pitada de brasilidade.

Os traços da cultura italiana estão presentes na gastronomia, na agricultura e no próprio modo de viver em família, sempre com muita alegria e disposição.

Origem da Celebração do Dia do Imigrante Italiano no Brasil

A data escolhida para comemorar o Dia do Imigrante Italiano no Brasil se refere à data de chegada dos primeiros imigrantes italianos aqui, trazidos pelo navio La Sofia. Cerca de 380 camponeses desembarcaram no Brasil em 21 de fevereiro de 1874.

Essa data foi sancionada através de uma lei, em junho de 2008, pelo então vice-presidente do Brasil, José de Alencar, como forma de homenagear o povo italiano que veio para o Brasil e ajudou a construir a nossa história.

“A data é uma homenagem ao imigrante italiano que, vindo de terras distantes, engajou-se nas nossas lutas, fez prosperar cidades, construiu escolas, igrejas, restaurantes, hospitais e cultivou a terra. Em busca de novos horizontes, famílias inteiras trouxeram seus hábitos, seus costumes, sua religiosidade, a sua formação profissional enriqueceram a nossa cultura”, destacou o texto do Itália Oggi.

Relembrando a História

imigrante italiano1

Como já contamos aqui, no texto Imigração Italiana no Brasil, a imigração dos italianos para o Brasil foi altamente incentivada pelo governo brasileiro na época.

Mas é preciso ressaltar que toda essa campanha a favor da imigração só funcionou porque tanto o Brasil quanto a Itália tinham interesses comuns. Enquanto o Brasil precisava repor a sua mão de obra agrícola, após a abolição da escravatura, a Itália precisava recompor suas famílias financeiramente, depois de forte recessão.

A primeira leva de imigrantes italianos partiu do porto de Gênova, no dia 03 de janeiro de 1874, a bordo do navio a vela de bandeira francesa chamado La Sofia. Eram, ao todo, 386 imigrantes trentinos e vênetos, que desembarcaram no Espírito Santo em 21 de fevereiro do mesmo ano.

Essas famílias foram trazidas por Pietro Tabacchi, que veio para o Brasil no início da década de 1850. Aqui, era proprietário de uma fazenda no município de Santa Cruz (atual cidade de Aracruz, localizada no litoral norte capixaba) chamada “Nova Trento”, nome dado em homenagem à sua terra natal. Em acordo com o governo brasileiro, Tabacchi ofereceu 12 hectares de terra a cada família imigrante por um preço “favorável” para, em troca, receber o direito de exportar 3,5 mil jacarandás.

Depois disso, os italianos continuaram a vir para o Brasil e a povoar terras, principalmente, no sul e sudeste do país.

 

As viagens de navio

Dia do Imigrante Italiano no Brasil
Esquema da divisão dos navios que traziam os imigrantes e cartaz com a propaganda para incentivar a vinda dos italianos.

As viagens de navio da Itália para o Brasil eram longas e muito cansativas. As condições dos Vapores não era lá das melhores -na verdade, elas chegavam a ser consideradas péssimas.

O número enorme de passageiros e as precárias condições sanitária e de higiene eram uma porta aberta para proliferação de doenças como sarampo e cólera, além dos surtos de piolho que eram muito comuns nos navios.

Os imigrantes italianos viajavam na parte inferior dos navios, perto dos porões, locais úmidos e sem ventilação, em quartos lotados, ocupados muitas vezes por mais de uma família.

Nessas condições, não era muito difícil ocorrer mortes durante a viagem até o Brasil. Como não era possível permanecer como os corpos dentro dos navios, eles eram colocados em um saco de pano e lançados ao mar após uma pequena cerimônia religiosa.

Para ajudar a passar o tempo dentro do navio, tornar a viagem mais leve e evitar que o pensamento pairasse em tudo e em todos que foram deixados para trás, a cantoria era comum, e uma das músicas preferidas era a canção folclórica Mérica, Mérica: – “Mérica, Mérica, Mérica, cossa sarà ‘sta Mérica? Mérica, Mérica, Mérica”.

Hoje, então, é dia de enaltecermos este ato de coragem dos nossos antepassados, reconhecendo a importância do legado cultural, histórico e social que nos foi deixado.

Comemoremos o dia dedicado ao imigrante italiano! Afinal, somos a continuação dessa história.

 

Clique aqui e conheça a América Latina: 

Cataratas do Iguaçu do Brasil e da Argentina

Conheça o Chile e passe por experiência únicas

Tango, Carne e belezas naturais, a fascinante Argentina

São Paulo um dos maiores centros culturais do mundo!

Uruguay de Punta del Este a Montevidéu um país livre para todos!

Fonte

Por Dario

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Rolê na Fronteira
Feira Livre de Trocas da Tríplice Fronteira acontece no domingo, dia 10 de novembro em Foz do...
Feira Livre de Trocas da Tríplice Fronteira acontece no domingo, dia 10 de novembro em Foz do Iguaçu
VISUALIZAR
Sociedade
Em 6 meses, 35 mil mulheres foram vítimas de violência doméstica
Em 6 meses, 35 mil mulheres foram vítimas de violência doméstica
VISUALIZAR
Sociedade
MPPR propõe denúncia por crimes na gestão do transporte em Foz do Iguaçu
MPPR propõe denúncia por crimes na gestão do transporte em Foz do Iguaçu
VISUALIZAR
América Latina
Argentina: Fernández e Kirchner vencem Macri em retomada da esquerda
Argentina: Fernández e Kirchner vencem Macri em retomada da esquerda
VISUALIZAR
América Latina
Bogotá elege Claudia López prefeita, primeira mulher a comandar a capital da Colômbia
Bogotá elege Claudia López prefeita, primeira mulher a comandar a capital da Colômbia
VISUALIZAR
Agenda de Eventos
2ª Marcha da Diversidade e do Orgulho LGBTTQIAP+ da Tríplice Fronteira
2ª  Marcha da Diversidade e do Orgulho LGBTTQIAP+ da Tríplice Fronteira
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )