Portal NFL

MENU
Logo
Terça, 09 de março de 2021
Publicidade
Publicidade

Economia

DER abre única proposta e define licitação do ferry-boat

Empresa que opera travessia da Ilha de Valadares foi a única que participou da fase final da licitação e poderá explorar a travessia na baía

123
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A empresa Três Mosqueteiros, de Foz do Iguaçu, foi a única empresa habilitada para apresentar proposta de tarifa, na etapa final da licitação do ferry-boat em Guaratuba, hoje às 16h na sede do DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná), em Curitiba.

A outra concorrente, a F Andreis, que opera a travessia na baía de Guaratuba há quase 25 anos, foi desclassificada em dezembro passado, na fase de documentação. Ela recorreu e não teve o recursos acatado pela comissão de licitação do DER. O envelope da sua proposta de tarifa para a travessia da baía de Guaratuba, que teve de ser entregue junto com o envelope da documentação, no dia 1º de dezembro, foi devolvido sem ter sido aberto.

O envelope da Três Mosqueteiros, guardado desde dezembro pelo DER finalmente aberto e a proposta de tarifa básica (veículo de passeio) lida em voz alta: R$ 8,90. Hoje é de R$ 7,40. O valor máximo era de R$ 9,15.

A declaração da vencedora ainda precisa ser formalizada pela comissão e pela direção do DER, dentro de 5 dias. Se não houver nenhuma decisão judicial contrária, a empresa iguaçuense, que também opera a travessa de balsa na Ilha de Valadares, em Paranaguá, vai operar o ferry-boat de Guaratuba pelos próximos 10 anos, num concessão avaliada em aproximadamente R$ 134 milhões. A atual concessão vence no próximo dia 7 de abril.

Além da nova tarifa, o serviço terá de ter melhorias. A empresa terá de revitalizar todo o pavimento e a sinalização da área concessionada, reformar e adequar os quatro conjuntos de atracadouros, e implantar ciclovias. Também serão revitalizadas as edificações da concessão, incluindo as bilheterias, lanchonete e instalações do Serviço de Atendimento ao Usuário.

No caso da venda de bilhetes, por exemplo, podem ser propostas alternativas para a compra via internet ou aplicativo para celular, com o objetivo de reduzir as filas de espera nas bilheterias. Ela pode propor a exploração comercial, com abertura de lojas ou colocação de publicidade nos terminais, acessos ou áreas de serviço e lazer.

Também deverá ser disponibilizada barreira flutuante para contenção na eventualidade de vazamento de óleo, com aproximadamente 130 boias, ou quantas forem necessárias para atender toda a extensão da área.

Caso a concessionária opte por utilizar os três ferry-boats de propriedade do DER/PR, deverá instalar em cada embarcação um mecanismo metálico antiqueda, que trave as rodas dos veículos, evitando o deslocamento durante a travessia.

Isenção – Ficam isentos do pagamento de tarifa os veículos emplacados e pertencentes a proprietários que residem no município de Guaratuba, para uma viagem de ida e volta, uma vez ao dia, conforme estabelecido na lei estadual número 15.749/07.

Também terão trânsito livre nas embarcações veículos oficiais do Batalhão de Polícia Rodoviária, do Corpo de Bombeiros e ambulâncias a serviço, das forças militares em instrução ou manobra, e do Governo do Paraná.

Descontos – A concessionária também poderá oferecer descontos e promoções na tarifa, visando aumentar o número de usuários do ferry-boat durante períodos, dias e horários com baixa demanda, bem como estender benefícios semelhantes para usuários frequentes da travessia, como moradores e comerciantes que habitam outros municípios do Litoral. A iniciativa é de responsabilidade da empresa, com aprovação do DER/PR.

 

Fonte/Créditos: Gustavo Aquino

Créditos (Imagem de capa): Gustavo Aquino / Correio do Litoral

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade