A nova era da informação!

Deputado Paranaense que venceu 12 vezes na loteria em 14 dias pode assumir presidência da Câmara

Deputado já foi réu no STF e ganhou 12 vezes seguidas na loteria
Deputado Paranaense que venceu 12 vezes na loteria em 14 dias pode assumir presidência da Câmara
9

Deputado Paranaense que venceu 12 vezes na loteria em 14 dias pode assumir presidência da Câmara

Chico Marés / Gazeta do Povo

Deputado já foi réu no STF e ganhou 12 vezes seguidas na loteria

Um paranaense pode assumir a presidência interina da Câmara caso Waldir Maranhão (PP-MA) seja afastado. Fernando Giacobo (PR-PR), deputado que atua no Sudoeste e Oeste do estado, é o 2º-vice-presidente da Câmara – e pode ficar, interinamente, como segundo colocado na linha de sucessão da República caso Dilma Rousseff seja afastada nesta quarta-feira.

Ele já foi réu no Supremo Tribunal Federal (STF) em três ações, todas prescritas, e ganhou na loteria 12 vezes em um período de 14 dias, em 1997.

Caso assuma, não se sabe quanto tempo ele ficará como presidente. Partidos de oposição defendem que uma nova eleição seja realizada. Caso isso não ocorra, ele ficaria na presidência até fevereiro do ano que vem, quando o mandato da atual Mesa Executiva da Câmara se encerra.

STF

Ao contrário de Maranhão e de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afastado pelo STF na última quinta-feira, Giacobo não é investigado pela Operação Lava Jato. Entretanto, ele já foi réu em três ações no STF – todas elas prescreveram.

Em 2014, um processo por falsidade ideológica contra o deputado prescreveu – a ação tramitava desde 2003. Pela mesma ação, uma acusação de formação de quadrilha já havia prescrito.

De acordo com denúncia Ministério Público Federal (MPF), o deputado teria um esquema de sonegação de impostos, com base em empresas fantasmas, que beneficiaria sua concessionária. Segundo o MPF, o possível esquema teria lesado os cofres públicos em mais de R$ 330 mil entre 2000 e 2001. À época, ele negou as acusações.

Em 2010, outra ação contra o deputado prescreveu no STF. Neste caso, uma de suas empresas foi acusada de favorecimento em licitação para exploração do terminal rodoviário da cidade de Pato Branco, no Sudoeste do estado, administrada, à época, pelo ex-deputado Alceni Guerra (PSD-PR).

Em 2009, uma ação pelos crimes de sequestro e cárcere privado também prescreveram. No processo, o parlamentar foi acusado de sequestro e cárcere privado contra José Adílson dos Santos, que foi gerente de uma propriedade rural vendida a Giacobo em Mato Grosso.

O deputado teria desconfiado da autenticidade de documentos fornecidos pelo gerente, e supostamente o manteve preso por 30 horas, até que o antigo proprietário restituísse o sinal de R$ 250 mil pago para a aquisição da propriedade. Giacobo também nega essas acusações, e disse, à época, que Santos teria negado a história posteriormente em documento registrado em cartório.

Loteria

A história mais curiosa, porém, ocorreu em 1997. Entre os dias 5 e 19 de julho, ele ganhou doze vezes na loteria – somados os prêmios, recebeu R$ 134 mil. Em entrevista à Folha de S. Paulo, o deputado atribuiu a bolada recebida à sua sorte. “Pura sorte. Juro por Deus. Eu sou um cara de muita fé”, disse.

Carreira

Empresário do ramo automotivo, Giacobo foi eleito deputado federal pela primeira vez em 2002 – antes disso, não havia exercido cargos políticos. À época, era filiado ao PPS. Depois disso, filiou-se ao PL – que posteriormente virou o PR – e foi reeleito três vezes, fazendo 145 mil votos em 2014. Em fevereiro de 2015, foi eleito 2º-vice-presidente da Câmara, para mandato de dois anos.

 

OUVIR NOTÍCIA

Deputado já foi réu no STF e ganhou 12 vezes seguidas na loteria

Um paranaense pode assumir a presidência interina da Câmara caso Waldir Maranhão (PP-MA) seja afastado. Fernando Giacobo (PR-PR), deputado que atua no Sudoeste e Oeste do estado, é o 2º-vice-presidente da Câmara – e pode ficar, interinamente, como segundo colocado na linha de sucessão da República caso Dilma Rousseff seja afastada nesta quarta-feira.

Ele já foi réu no Supremo Tribunal Federal (STF) em três ações, todas prescritas, e ganhou na loteria 12 vezes em um período de 14 dias, em 1997.

Caso assuma, não se sabe quanto tempo ele ficará como presidente. Partidos de oposição defendem que uma nova eleição seja realizada. Caso isso não ocorra, ele ficaria na presidência até fevereiro do ano que vem, quando o mandato da atual Mesa Executiva da Câmara se encerra.

STF

Ao contrário de Maranhão e de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afastado pelo STF na última quinta-feira, Giacobo não é investigado pela Operação Lava Jato. Entretanto, ele já foi réu em três ações no STF – todas elas prescreveram.

Em 2014, um processo por falsidade ideológica contra o deputado prescreveu – a ação tramitava desde 2003. Pela mesma ação, uma acusação de formação de quadrilha já havia prescrito.

De acordo com denúncia Ministério Público Federal (MPF), o deputado teria um esquema de sonegação de impostos, com base em empresas fantasmas, que beneficiaria sua concessionária. Segundo o MPF, o possível esquema teria lesado os cofres públicos em mais de R$ 330 mil entre 2000 e 2001. À época, ele negou as acusações.

Em 2010, outra ação contra o deputado prescreveu no STF. Neste caso, uma de suas empresas foi acusada de favorecimento em licitação para exploração do terminal rodoviário da cidade de Pato Branco, no Sudoeste do estado, administrada, à época, pelo ex-deputado Alceni Guerra (PSD-PR).

Em 2009, uma ação pelos crimes de sequestro e cárcere privado também prescreveram. No processo, o parlamentar foi acusado de sequestro e cárcere privado contra José Adílson dos Santos, que foi gerente de uma propriedade rural vendida a Giacobo em Mato Grosso.

O deputado teria desconfiado da autenticidade de documentos fornecidos pelo gerente, e supostamente o manteve preso por 30 horas, até que o antigo proprietário restituísse o sinal de R$ 250 mil pago para a aquisição da propriedade. Giacobo também nega essas acusações, e disse, à época, que Santos teria negado a história posteriormente em documento registrado em cartório.

Loteria

A história mais curiosa, porém, ocorreu em 1997. Entre os dias 5 e 19 de julho, ele ganhou doze vezes na loteria – somados os prêmios, recebeu R$ 134 mil. Em entrevista à Folha de S. Paulo, o deputado atribuiu a bolada recebida à sua sorte. “Pura sorte. Juro por Deus. Eu sou um cara de muita fé”, disse.

Carreira

Empresário do ramo automotivo, Giacobo foi eleito deputado federal pela primeira vez em 2002 – antes disso, não havia exercido cargos políticos. À época, era filiado ao PPS. Depois disso, filiou-se ao PL – que posteriormente virou o PR – e foi reeleito três vezes, fazendo 145 mil votos em 2014. Em fevereiro de 2015, foi eleito 2º-vice-presidente da Câmara, para mandato de dois anos.

 

Fonte

Chico Marés / Gazeta do Povo

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Política
PF tem provas de esquema entre Bolsonaro e ministro
PF tem provas de esquema entre Bolsonaro e ministro
VISUALIZAR
Política
Homem preso no caso Marielle tem fotos com Carlos e Jair Bolsonaro
Homem preso no caso Marielle tem fotos com Carlos e Jair Bolsonaro
VISUALIZAR
Política
Filho de Bolsonaro namorou com filha de Ronnie Lessa, admite delegado
Filho de Bolsonaro namorou com filha de Ronnie Lessa, admite delegado
VISUALIZAR
Variedades
Ozônio: A solução para sanitização de Hotéis, Motéis e Pousadas
Ozônio: A solução para sanitização de Hotéis, Motéis e Pousadas
VISUALIZAR
Variedades
Os seus clientes estão reclamando de mau cheiro?
Os seus clientes estão reclamando de mau cheiro?
VISUALIZAR
Variedades
Ozonioterapia Veterinária
Ozonioterapia Veterinária
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )