A nova era da informação!

Em Alta

Argentina: Fernández e Kirchner vencem Macri em retomada da esquerda

A Argentina vai às urnas e elegeu presidente o candidato de oposição Alberto Fernández, 60 anos, e, em primeiro turno
Argentina: Fernández e Kirchner vencem Macri em retomada da esquerda
Alberto Fernandez e Cristina Kirchner Imagem: HO / FRENTE DE TODOS / AFP
108

Argentina: Fernández e Kirchner vencem Macri em retomada da esquerda

Uol

A Argentina foi às urnas neste domingo (27) e elegeu presidente o candidato de oposição Alberto Fernández, 60 anos, em primeiro turno. Com 80% dos votos computados, ele, obteve 47,53% dos votos e não podia mais ser alcançado. Fernández terá como vice a ex-presidente Cristina Kirchner, 66, que comandou o país entre 2007 e 2015. A vitória da chapa de esquerda era esperada desde as eleições primárias, em 11 de agosto, quando superou Mauricio Macri, atual presidente e candidato à reeleição, por 15 pontos percentuais. Para vencer em primeiro turno na Argentina, basta que o primeiro colocado alcance 45% dos votos, ou 40% se a vantagem para o segundo candidato for de pelo menos 10 pontos percentuais

Fernández é desafeto de Bolsonaro A vitória de Fernández e Kircher contraria o governo brasileiro, que tem uma agenda econômica de controle de gastos públicos alinhada à de Macri. O presidente Jair Bolsonaro chegou a afirmar na semana passada que a retomada da esquerda no país vizinho poderia colocar em risco o Mercosul —bloco comercial fundado em 1991 por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Na manhã deste domingo (27), Bolsonaro deu uma entrevista em tom mais conciliador, ao arimar que pretende "ampliar qualquer comércio com a Argentina", e que espera que Fernández não se oponha à abertura comercial desejada pelo governo brasileiro. Alberto Fernández é um aliado da esquerda brasileira. Ele defende que Lula é um preso político e foi visitá-lo na prisão em julho deste ano, durante a campanha. Logo após as primárias argentinas, o presidente eleito argentino chamou Bolsonaro de racista e misógino.

Portal NFL

Argentina enfrenta crise econômica e social Derrotado hoje, Macri herdou de Cristina Kirchner um país em ritmo acelerado de endividamento, com controle cambial e economia fechada. Ao assumir a presidência no final de 2015, iniciou uma política econômica de menor intervenção estatal e prometeu zerar a pobreza, mas não conseguiu reverter o cenário de crise: o índice de pobreza na Argentina é o maior da década e a expectativa o FMI (Fundo Monetário Internacional) é que o país tenha inflação acumulada de 57% em 2019. Ainda assim, Macri era visto como o candidato favorito do mercado financeiro. Em 12 de agosto, dia seguinte à derrota do liberal nas eleições primárias, peso argentino desvalorizou 30% em relação ao dólar. Mauricio Macri chegou a anunciar um pacote de medidas intervencionistas para tentar recuperar a popularidade, mas não foi o suficiente. Para tranquilizar o mercado e credores internacionais, Alberto Fernández se comprometeu durante as eleições a não dar um calote nas dívidas públicas.

Compre Fácil Brasil

 

 

OUVIR NOTÍCIA

A Argentina foi às urnas neste domingo (27) e elegeu presidente o candidato de oposição Alberto Fernández, 60 anos, em primeiro turno. Com 80% dos votos computados, ele, obteve 47,53% dos votos e não podia mais ser alcançado. Fernández terá como vice a ex-presidente Cristina Kirchner, 66, que comandou o país entre 2007 e 2015. A vitória da chapa de esquerda era esperada desde as eleições primárias, em 11 de agosto, quando superou Mauricio Macri, atual presidente e candidato à reeleição, por 15 pontos percentuais. Para vencer em primeiro turno na Argentina, basta que o primeiro colocado alcance 45% dos votos, ou 40% se a vantagem para o segundo candidato for de pelo menos 10 pontos percentuais

Fernández é desafeto de Bolsonaro A vitória de Fernández e Kircher contraria o governo brasileiro, que tem uma agenda econômica de controle de gastos públicos alinhada à de Macri. O presidente Jair Bolsonaro chegou a afirmar na semana passada que a retomada da esquerda no país vizinho poderia colocar em risco o Mercosul —bloco comercial fundado em 1991 por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Na manhã deste domingo (27), Bolsonaro deu uma entrevista em tom mais conciliador, ao arimar que pretende "ampliar qualquer comércio com a Argentina", e que espera que Fernández não se oponha à abertura comercial desejada pelo governo brasileiro. Alberto Fernández é um aliado da esquerda brasileira. Ele defende que Lula é um preso político e foi visitá-lo na prisão em julho deste ano, durante a campanha. Logo após as primárias argentinas, o presidente eleito argentino chamou Bolsonaro de racista e misógino.

Portal NFL

Argentina enfrenta crise econômica e social Derrotado hoje, Macri herdou de Cristina Kirchner um país em ritmo acelerado de endividamento, com controle cambial e economia fechada. Ao assumir a presidência no final de 2015, iniciou uma política econômica de menor intervenção estatal e prometeu zerar a pobreza, mas não conseguiu reverter o cenário de crise: o índice de pobreza na Argentina é o maior da década e a expectativa o FMI (Fundo Monetário Internacional) é que o país tenha inflação acumulada de 57% em 2019. Ainda assim, Macri era visto como o candidato favorito do mercado financeiro. Em 12 de agosto, dia seguinte à derrota do liberal nas eleições primárias, peso argentino desvalorizou 30% em relação ao dólar. Mauricio Macri chegou a anunciar um pacote de medidas intervencionistas para tentar recuperar a popularidade, mas não foi o suficiente. Para tranquilizar o mercado e credores internacionais, Alberto Fernández se comprometeu durante as eleições a não dar um calote nas dívidas públicas.

Compre Fácil Brasil

 

 

Fonte

Uol

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Rolê na Fronteira
Feira Livre de Trocas da Tríplice Fronteira acontece no domingo, dia 10 de novembro em Foz do...
Feira Livre de Trocas da Tríplice Fronteira acontece no domingo, dia 10 de novembro em Foz do Iguaçu
VISUALIZAR
Sociedade
Em 6 meses, 35 mil mulheres foram vítimas de violência doméstica
Em 6 meses, 35 mil mulheres foram vítimas de violência doméstica
VISUALIZAR
Sociedade
MPPR propõe denúncia por crimes na gestão do transporte em Foz do Iguaçu
MPPR propõe denúncia por crimes na gestão do transporte em Foz do Iguaçu
VISUALIZAR
América Latina
Bogotá elege Claudia López prefeita, primeira mulher a comandar a capital da Colômbia
Bogotá elege Claudia López prefeita, primeira mulher a comandar a capital da Colômbia
VISUALIZAR
Agenda de Eventos
2ª Marcha da Diversidade e do Orgulho LGBTTQIAP+ da Tríplice Fronteira
2ª  Marcha da Diversidade e do Orgulho LGBTTQIAP+ da Tríplice Fronteira
VISUALIZAR
Política
Governador do Paraná e Renato Feder denunciados no Ministério Público por fraudar IDEB
Governador do Paraná e Renato Feder denunciados no Ministério Público por fraudar IDEB
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )